Setor de hemodiálise do Hospital das Clínicas está desativado

         



O setor de hemodiálise do Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos, o Hospital das Clínicas (Hupes), no Canela, está desativado apesar de ter sido inaugurado no final de janeiro deste ano. Diante do problema, conforme informado ao BNews por funcionários da unidade, cogita-se a transferência de pacientes das Unidades de Tratamento Intensivo para a rede estadual.

Por iniciativa própria, um grupo ligado à coordenação estaria negociando o empréstimo de equipamentos junto ao Hospital Ana Nery. De acordo com a denúncia feita ao BNews, todas as membranas das máquinas portáteis estão contaminadas.

 

"Eles alegam que não estão prontos ainda os laudos da água, só que isso já deveria ter sido providenciado. Nós temos máquinas portáteis que dão suporte às urgências dialíticas para os pacientes que não tem jeito de dialisar e vão para UTI realizar. Só que essas máquinas, as membranas estão contaminadas e tem que trocar e o hospital não providencia esta troca", conta um denunciante.

O funcionário ainda afirma que a única justificativa apresentada é que uma licitação para adquirir os equipamentos está em andamento. "O problema é de gestão, que é muito ruim. Você não pode dizer burocraticamente que está licitando, existem mecanismos legais para você fazer uma compra emergencial, que já devia ter sido providenciado", completou.

A situação é responsável pela falta de atendimento para cerca de 60 pacientes por dia.

Em nota, a assessoria de imprensa do Hospital das Clínicas afirmou que o Serviço de Terapia Renal está com seu funcionamento parcial, atendendo regularmente os pacientes do Programa de Diálise Peritoneal (Ambulatorial e intra hospitalar). Além disso, o Hospital das Clínicas rebateu as outras denúncias.

Veja a nota na íntegra:

"Em resposta as denúncias enviadas, ratificamos que o Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (Hupes) está com o Serviço de Terapia Renal em seu funcionamento parcial, atendendo regularmente os pacientes do Programa de Diálise Peritoneal (Ambulatorial e intra hospitalar). A hemodiálise terá início após laudos da análise da água, conforme exigido pela Vigilância Sanitária.

As demais máquinas portáteis que apresentaram contaminação, já passaram pelo processo de descontaminação e aguarda também o resultado da última coleta pelo laboratório, realizada no dia 27/02/2019 e deverá ter seu resultado divulgado em 10 dias úteis.

Os pacientes mais graves que precisam fazer a hemodiálise estão realizando um procedimento chamado Hemodiafiltração, através de num equipamento portátil que não precisa de filtragem da água. Não existe nenhum processo de licitação no momento.

Em relação a empréstimos de equipamentos junto a alguns hospitais, informamos que não há oficialmente nenhuma solicitação através da gestão.

Todas essas medidas visam garantir a qualidade e a segurança da assistência ao paciente".
*Do BNews